Notícias

Empresa de ônibus que tombou na BR-251 estava suspensa há dois anos

Em 20/06/2017 às 08h40


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

A empresa MJ Turismo, responsável pelo ônibus que tombou ontem na BR-251, em Salinas, no Norte de Minas, estava proibida de transportar passageiros desde fevereiro de 2015. A suspensão vale para três anos, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O motivo da punição não foi divulgado.

Onze pessoas morreram e ao menos 27 ficaram feridas na tragédia, registrada por volta de 4h. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o veículo derrapou e tombou após sair de uma curva. A suspeita é de que o motorista estivesse em alta velocidade ou tenha dormido ao volante. 

Segundo os agentes, o tacógrafo estava vencido. O condutor fugiu após o acidente levando a documentação do ônibus. Ele não havia sido localizado até o fechamento desta edição.

O veículo seguia de São Paulo para Euclides da Cunha (BA). Na cidade baiana, a aposentada Irene Ferreira Dantas, de 52 anos, iria reencontrar familiares que não via há 15 anos. 

"Ela estava na expectativa por essa viagem. Foi uma amiga, que morreu no acidente, que indicou essa empresa", contou Bonne Ferreira, de 27, filho de Irene. A aposentada sofreu ferimentos leves e pretendia continuar a viagem.

Semanais

A MJ é comandada por dois sócios. Um morador de Euclides da Cunha, que pediu o anonimato, contou que as viagens eram semanais.

Os deslocamentos são publicados no perfil no Facebook de um dos proprietários da empresa. Em um panfleto virtual, a agência anuncia atendimento a 18 localidades baianas com viagens regulares a São Paulo. A passagem sai por R$ 250.

Hoje em Dia tentou contato com os responsáveis pela MJ nos celulares da empresa anunciados na internet, mas ninguém atendeu as ligações.

A Polícia Civil investiga as causas do acidente. O motorista poderá responder por homicídio culposo (sem intenção de matar). 


Compartilhe: